:: Belenenses XV ::: Fevereiro 2007

quarta-feira, fevereiro 28, 2007

Sevens: Hong Kong e Austrália

Os Lobos portugueses estão integrados no Grupo A no Torneio de Hong Kong do Circuito Mundial de Sevens juntamente com as Ilhas Fiji, a Escócia e o Sri Lanka.

Na etapa australiana, os portugueses disputarão um grupo bem mais forte (o Grupo D), que inclui as equipas de Samoa, Argetina e Escócia.

Etiquetas: ,

segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Belenenses, 26 vs CDUL, 32



domingo, fevereiro 25, 2007

Selecção: Azuis convocados

Por indicação do Seleccionador Nacional Prof.Tomaz Morais, estão convocados para os treinos de 26 a 28/02/07,às 19:30 no Estádio Nacional, os seguintes jogadores:

(...)

BELENENSES: João Uva (n.º7), Pedro Silva (abertura/centro) e David Mateus (centro/ponta).

Nota: de fora da convocatória fica Diogo Mateus que se lesionou numa mão e não estará disponível para os encontros com o Uruguai.

Etiquetas:

sábado, fevereiro 24, 2007

Belenenses, 26 - CDUL, 32

Dados do Jogo:

Restelo 2, 12:00h
8ª Jornada da Divisão de Honra
Árbitro: Fabrice Delpont

Belenenses, 26 (4 ensaios)
CDUL, 32 (3 ensaios)

BELENENSES: Juan Murré, Paulo Santos (Guillermo Malin) e Fernando Murteira; Fezas Vital e Sebastião da Cunha (Marco Miroto); Salvador da Cunha (5+5), João Uva (5) e Valter Jorge; Pedro Netto (Carlos Gaspar) e Ramiro Alvarez (João Mirra); Duarte Bravo (5), Pedro Silva, David Mateus e Francisco da Cunha (capitão); Diogo Miranda (2+2+2). Suplentes não utilizados: Diogo Jorge, Gonçalo Lucena e Diogo Castro.

Disciplina: João Uva (amarelo aos 74').

CDUL: Francisco Magalhães, Duarte Figueiredo (5) e Kirkwood; Andrew Garton e Afonso Granate (Sommer Ribeiro); F.Miranda (F. Melim), Francisco Coimbra (Machado) e Tiago Girão (5); Sacadura (5) e Pedro Cabral (3+3+3+3+2); Gonçalo Foro, Marius, Nuno Ferreira (Pinto de Magalhães) Frederico Figueiredo (Belo); Nuno Penha e Costa.

Pontuação: o Belenenses faz 2 pontos bónus, correspondentes a 4 ensaios marcados e à derrota por diferença inferior a 8 pontos. O CDUL marca os 4 pontos da vitória.

Outros jogos:

CDUP, 51 - Cascais, 0
Benfica, 9 - Agronomia, 17
Direito, 43 - Técnico, 6

Classificação:

1. Agronomia - 36 pontos
2. Direito - 27 pontos
3. CDUP - 20 pontos
4. Benfica - 19 pontos
5. Belenenses - 18 pontos
6. CDUL - 16 pontos
7. Cascais - 10 pontos
8. Técnico - 3 pontos

Etiquetas: ,

sexta-feira, fevereiro 23, 2007

O Blog segue dentro de momentos

É vasta a blogosfera dedicada ao desporto nacional. Nos últimos anos, por paixão ao Belenenses e ao Desporto (mais recentemente ao Rugby!), decidi envolver-me activamente neste meio virtual, utilizando o formato blog para dar mais força a um projecto que não apenas considero possível como essencial: o engrandecimento do Clube de Futebol «Os Belenenses».

Integrei, durante muito tempo, a equipa do Blog do Belenenses, juntamente com o Luciano Rodrigues e o Luis Vieira, dois companheiros desta e doutras lutas (como o site oficial e o jornal oficial do Belenenses). Colaborei ocasionalmente com o Blog CFBelenenses, então dinamizado pelo Pedro Lourenço. Assumi, praticamente sozinho, o Site Oficial do clube, e depois de ser substituído pelo Pedro, passei a colaborar com ele, escrevendo sobre o Rugby.

Criei o Rugby.com.sapo.pt e o Blog Rugby Azul, encerrado para dar origem a este, que mantenho juntamente com o Afonso Nogueira, um belenense que anda no mundo oval há muito mais tempo do que eu.

Isto para mim é, de certa forma, uma paixão. Assim, é com algum sentido de missão que vou escrevendo sobre aquilo que me desperta interesse no contexto do meu clube.

A chamado Blogosfera azul perdeu todavia muita da sua original inocência e honestidade. Hoje, nas dezenas de blogs excluivamente dedicados ao Belenenses, pouco se discute o clube, os seus problemas e os seus projectos. As caixas de comentários são usadas para discussões privadas, para ofensas mais ou menos generalizadas, para a promoção de candidatos, candidatos a candidatos e pseudo-candidatos aos mais diversos cargos dentro da estrutura azul.

A educação desapareceu, e com ela todo o meu interesse em participar quotidianamente na Blogesfera belenense.

Muito depois do «Boom» da Blogosfera azul surgiu, a miúde, a Blogesfera do Rugby português. Primeiro foi o Murinello - se não estou errado - e depois, pouco a pouco, alguns outros amantes da modalidade foram criando espaços que se destinavam sobretudo a alimentar a fome de informação que a comunidade oval lusitana ia revelando.

Foi interessante o início deste processo de expansão do Rugby neste meio. O site da FPR deixou de ser a referência (será que alguma vez o foi?) e as pessoas passaram a procurar nos blogs toda a informação acerca dos seus clubes, da selecção, das competições nacionais e até internacionais.

Devo dizer que acompanho com muito interesse a maior parte dos Blogs nacionais de Rugby. A título de exemplo, refiro o Blog do CDUL, que se distingue pela qualidade dos textos e das imagens. Ou o novíssimo Coisas de Rugby, que se vai enriquecendo com informação de grande utilidade sobre os jogos de vários escalões e provas nacionais!

Todavia, e tal como aconteceu com a Blogosfera azul, também os espaços virtuais de Rugby se estão a encher de má educação, falta de frontalidade e promoção do enxovalho. O anonimato dos comentários nem sequer é o mais grave... Grave mesmo é o conteúdo dos mesmos.

Um exemplo para que se perceba o que aqui refiro, retirado do interessante Blog Zé do Melão:

Anonymous said...
cala-te puta!
February 22, 2007 10:01 AM

Anonymous said...
puta foi quem te pos os cornos oh anormal!
February 22, 2007 11:41 AM

Anonymous said...
«Anônimo disse...
Mulheres ja jogam rugby?
volta lá pa cozinha sff »
A tua mae e o que??? um homem?
February 22, 2007 11:42 AM


Confesso que tudo isto me deixa um pouco triste, mas não surpreendido.

Assim, e porque me deixei de identificar com «isto», vou reduzir substancialmente as actualizações do BELENENSES15, limitando os posts às informações estritamente necessárias: datas de jogos, resultados, classificações, fichas de jogo, etc...

A quem me (nos) foi lendo ao longo destes meses o meu muito obrigado pela paciência. As crónicas dos jogos do Belém continuarão a ser publicadas no Site Oficial do Clube (em www.osbelenenses.com) bem como no Jornal do Belenenses.

Aqui... chega!

Etiquetas:

quinta-feira, fevereiro 22, 2007

Segue-se o CDUL...

A segunda volta arranca com o clássico do Rugby português, tal como a primeira havia encerrado com um duelo entre dois velhos rivais do desporto nacional. Belenenses e CDUL enfrentam no Restelo, numa altura em que as duas equipas se encontram muito próximas na tabela classificativa, tendo pelo meio o CDUP (que torce com certeza pelo empate, enquanto recebe no Porto o Cascais).

Desde já manifesto a minha confiança na capacidade da equipa do Belenenses para vencer este importante jogo, que pode cimentar a nossa candidatura à Final Four e aproximar-nos ainda mais o Benfica, que defronta a fortíssima Agronomia, líder invicta da Divisão de Honra.

Ainda assim, e porque os jogos apenas se ganham em campo e ao fim de 80 minutos, recordo que foi o CDUL a equipa que – entre as três que bateram o Belenenses até ao momento – ultrapassou o XV da Cruz de Cristo com maior facilidade, conquistando aliás ponto bónus e tendo ao fim de 40 minutos a partida completamente controlada...

Nenhum conjunto está em condições de cantar vitória antes do apito final, e volto a escrever hoje aquilo que havia escrito há umas semanas atrás, dias antes daquele gélido jogo no Universitário de Lisboa: o maior inimigo do Belenenses encontra-se quase sempre dentro de si próprio. É preciso encarar todos os jogos com inteira disponibilidade física e mental, tendo um e apenas um objectivo: ganhar, respeitando o adversário e a equipa de arbitragem.

Por falar em árbitros, de acordo com o Blog do CDUL (Formação), a partida de sábado será apitada pelo francês Fabrice Delpont. Desconheço as razões que estão na origem da chamada de árbitros estrangeiros à fase regular do nosso campeonato. Não é todavia a primeira (e provavelmente não será a última) vez que tal acontece, e creio mesmo que pode ser uma experiência interessante para todos os envolvidos. Uma coisa é certa: seja qual for o vencedor, seja qual for a qualidade da arbitragem... ninguém poderá sugerir simpatias ou antipatias...

O Belém apresentar-se-á praticamente na máxima força, com o regresso de João Uva (esteve ausente do encontro com o Benfica devido a uma concussão sofrida no treino da selecção), João Mirra e Mata Pereira, que depois de várias semanas ausente por motivos académicos se voltou a treinar. De fora continuam Cristian Spachuk, Diogo Pinheiro e o castigado Bruno Nifo, que cumpre contra o CDUL o último jogo da caricata penalização decidida pelo Conselho de Disciplina da FPR.


Legenda: Mata Pereira regressou à equipa depois de algumas semanas de ausência por motivos académicos.

Porque a vitória é vital, e porque jogamos na nossa casa, é importante que todos se mobilizem para o Restelo (incluindo os mais novos, cujas competições se encontram paradas...) no sentido de apoiar a equipa do Belém.

Dados do Jogo:

Belenenses vs. CDUL
Campeonato Nacional de Honra (7ª Jornada)
Sábado, 24/02/2007 (12:00 horas)
Árbitro: Fabrice Delpont (França)

Belenenses - V V D D D V V V (4V e 3D)
CDUL - D V D D V D D (2V e 5D)

Etiquetas: ,

quarta-feira, fevereiro 21, 2007

Montpellier visita Lisboa

O embate já esteve previsto para o intervalo entre o jogo contra a Itália e a Rússia, há uns meses atrás... O orçamento da Federação foi nessa altura curto, e Tomaz Morais teve de se remediar com Oxford, equipa que aliás deu luta ao XV nacional.

Ficou ainda assim a promessa de um encontro futuro, e no próximo dia 3 de Março (15:00 horas) os azuis de Montpellier estarão mesmo em Lisboa, para defrontar a nossa selecção (ou o chamado XV do Presidente), em jogo de preparação tendo em vista a eliminatória com o Uruguai.

O Montpellier, onde alinha o 2ª linha «advogado» Gonçalo Uva, é actual 12º do Top-14 francês, com 33 pontos (pouco acima dos lugares de despromoção à Pro2, ocupados por Brive e Bayonne), correspondentes a 6 vitórias, 1 empate e 12 derrotas.

Sem jogadores envolvidos na equipa gaulesa que disputa o Torneio das VI Nações, o Montpellier aproveita assim a pausa na principal Liga de Rugby francesa para continuar a sua preparação para um final de campeonato que se prevê muito competitivo, já que há pelo menos 6 equipas que se encontram em zona pouca confortável, entre os 40 e os 30 pontos.

Etiquetas: ,

segunda-feira, fevereiro 19, 2007

Ulster no centro da polémica

Depois dos problemas em Biarritz, envolvendo Trevor Brennan e Gareth Thomas, o Ulster Rugby volta a estar no centro da polémica. Desta vez o motivo prende-se com o comportamento alegadamente racista dos seus adeptos durante a recepção aos Newport Dragons (País de Gales), numa partida a contar para a Magners League (antiga Celtic League).

O alvo da ira dos irlandeses do norte foi o ponta Aled Brew, jogador internacional galês (XV e Sevens) que se encontra em Newport por empréstimo dos Ospreys.

Sobre o assunto podem-se ler declarações oficiais por parte dos Dragons e do Ulster Branch.

Etiquetas:

O cúmulo da parcialidade

António Henriques (AH) escreveu e divulgou um artigo no qual procura descrever as incidências do jogo do passado sábado, entre Belenenses e Benfica. Como é óbvio, e até porque o autor o fez em nome próprio (o artigo não foi publicado em nenhum jornal ou fonte que apregoe a isenção e imparcialidade), a sua opinião é sempre respeitável, excepto quando mistifica e falta à verdade. Foi o que aconteceu.

Como opiniões são opiniões (eu também tenho a minha), não vou abordar as conclusões de AH sobre o jogo jogado, a justeza do resultado e sobre o desempenho do árbitro. Aliás, sobre arbitragens volto a assumir e cumprir aquilo que aqui prometemos no início da DH 2006/2007: não falaremos do trabalho do árbitro nem para o mal, nem para o bem. É uma questão de postura, que aliás alterei relativamente ao passado, sem arrependimento.

Todavia, importa corrigir - por respeito à verdade - duas referências de AH que não correspondem à realidade:

a) Após a situação que valeu - justa ou injustamente - o cartão amarelo a Hugo Melo, nenhum jogador, técnico, dirigente ou fisioterapeuta do banco do Belenenses pressionou de forma alguma o fiscal-de-linha que se encontra inacreditavelmente no centro da polémica. Não se entende portanto a referência ao treinador Francisco Borges, o qual esteve muitíssimo calmo durante toda a partida, dirigindo-se apenas aos seus jogadores. Eu estava no banco e posso afirmá-lo sem peso na consciência.

Estranho todavia que, na sequência do cartão amarelo mostrado ao centro do Benfica, AH não se tenha apercebido das palavras dirigidas por José Mendes ao técnico do Belenenses. Foram bem audíveis e creio que dignas de registo jornalístico...

b) No que diz respeito à suspensão referida por AH no seu artigo (relativa ao técnico do Belenenses), importa também esclarecer que o Clube não havia recebido, até ao momento em que se iniciou o jogo entre Benfica e Belenenses, nenhuma notificação por parte da FPR relativamente à decisão do Conselho de Disciplina.

Em jeito de conclusão, e a título meramente pessoal, não posso deixar de estranhar que alguém que desenvolve actividade jornalística há muito tempo resuma o essencial de 80 minutos de jogo a um acontecimento que ocorreu perto do final. Hugo Melo foi expulso e o Belenenses beneficiou dessa situação. É um facto. Tal como Juan Murré foi expulso aos 38 minutos da 1ª parte (AH esqueceu-se de referi-lo), beneficiando o Benfica de 10 minutos sem a presença em campo de um elemento fundamental do pack azul.

Colocar toda a responsabilidade da derrota do Benfica nas costas da equipa de arbitragem é de facto um acto de profunda injustiça, para os árbitros e... para o XV do Restelo, que tudo fez para vencer o jogo.

1ª volta: em jeito de balanço…



Terminou a primeira volta da chamada Divisão de Honra (DH) e é tempo de todos os «actores» envolvidos na prova máxima do Rugby masculino português pensarem um pouco acerca das incidências destas primeiras sete jornadas da prova.

É verdade que a DH tem sido marcada pelos sucessivos compromissos internacionais da selecção nacional de XV (e de Sevens também), a qual se encontra – e ainda bem! – a lutar pelo apuramento para o Mundial de França, no final do Verão deste mesmo ano.

Não me vou todavia alongar sobre esse delicado tema, que deverá ser analisado sobretudo pela FPR, pelas estruturas dirigentes dos clubes e pelos responsáveis técnicos da equipa nacional e dos 8 emblemas que disputam o título nacional.

Centro-me no meu clube – o «Belém» – para dizer que se confirmou aquilo que todos sabíamos desde que a equipa começou a treinar: num ano marcado pela intenção de renovar e rejuvenescer a equipa seniores, os resultados nem sempre são compatíveis com as aspirações de todos. É o preço a pagar pelo processo em curso no Belenenses, o qual é inevitável (em todas as equipas aliás). Algumas já o iniciaram antes (caso do CDUL) e outras ainda estão a preparar a necessária transição.

Cerca de 12 abandonos e muitos ingressos na equipa sénior – sobretudo por parte de jogadores oriundos da formação – obrigam a um período de adaptação, de conhecimento mútuo (dentro e fora de campo) por parte dos jogadores, técnicos e dirigentes. Não se trata de uma tarefa fácil nem realizável de um dia para o outro.

Eis a lista de abandonos e ingressos:

Abandonos:
- António Cunha «Balula» (3ª linha)
- Pedro Silveira (3/4's)
- Rodrigo Silveira (Talonador)
- Manuel Castagnet (3ª linha)
- Emiliano Castagnet (ponta)
- Nicolas Formigo (Talonador)
- André Santos (Talonador)
- David Penalva (2ª linha)
- Diogo Mateus (Centro)
- Francisco Nogueira (*) (Asa)
- Vaz Pinto (2ª Linha)
- Nuno Garvão

Ingressos:
- Diogo Miranda (Abertura)
- Fezas Vital (2ª Linha)
- Salvador da Cunha (**) (3ª Linha)
- Diogo Jorge (2/3ª Linha)
- Duarte Bravo (Ponta)
- Carlos Gaspar (Formação)
- Pedro Ribeiro Cruz (Ponta)
- Tiago Cabral (Ponta)
- José Mª Lino (Formação)
- Ramiro Alvarez (Abertura)
- Guillermo Malin (Talonador)
- Reggie Perkins (n.º8)

Dos «reforços» estrangeiros (3), Reggie Perkins (África do Sul) não se adaptou e desvinculou-se do clube, cumprindo a vontade de ambas as partes. Guillermo Malin apenas se estreou frente ao CDUP (por motivo de lesão) e Ramiro Alvarez alinhou desde o primeiro encontro, em Cascais, primeiro como formação e depois como médio-abertura, posição que é a sua.

O Belém começou bem a Divisão de Honra, com duas vitórias importantes frente ao Cascais (fora) e ao Técnico (em casa). Com um pack muito forte, o Belém controlou os jogos através dos seus avançados e poderia – quer num jogo, quer no outro – garantido 5 pontos. Em Cascais esteve a 2 metros do ensaio (em cima da hora) e no Restelo, com o Técnico, poderia ter feito mais e melhor.

O ano de 2007 trouxe todavia a primeira derrota caseira – frente à equipa de Agronomia – e duas derrotas fora de portas (CDUP e CDUL). A equipa apresentou-se desfalcada, é certo, mas o problema fundamental pareceu residir na fraca atitude competitiva e na pouca agressividade dentro de campo.

No jogo com o Direito já se verificaram algumas correcções e um comportamento muito diferente dentro de campo, sobretudo ao nível defensivo. Mais placagens, mais pressão sobre o adversário, excelente atitude nas fases estáticas e eficácia no momento de atacar. O Belenenses materializou em campo – contra o Direito e também depois com o Benfica – um princípio cada vez mais defendido no Rugby de hoje: mais importante do que ter maior posse de bola é ser mais eficaz com a bola na mão.

Igualmente importantes foram os regressos à equipa de alguns atletas ausentes e lesionados até a estas duas últimas jornadas da 1ª volta. Pedro Silva a jogar a 1º centro (lugar até então ocupado por David Mateus) e Lourenço Andrade («Esparguete») na 2ª linha trouxeram mais experiência e consistência a um conjunto marcado pela muita juventude.

Durante estas primeiras 7 jornadas há a registar várias ausências por lesão. Cristian Spachuk, Diogo Pinheiro, Guillermo Malin, Francisco Moreira, Pedro Silva e João Uva foram alguns dos habituais titulares afastados de vários jogos devido a lesão.

Tal como se havia verificado em 2005/2006, o Belenenses continua a apresentar um baixo aproveitamento dos pontapés aos postes (conversões, penalidades e drops), sendo que em alguns jogos esse facto foi determinante no desenrolar da partida (ex. derrota no Porto, frente ao CDUP). Este facto não deve todavia fazer esquecer que a equipa tem no seu seio bons chutadores (Pedro Silva, Diogo Miranda, Ramiro Alvarez e Francisco Moreira), que poderão ter uma palavra a dizer durante o resto da temporada.

Importa ainda referir que o Belenenses é a única equipa que ainda não marcou nenhum ponto bónus durante esta edição da Divisão de Honra, contrariamente ao que aconteceu no ano passado, durante o qual foram os azuis o conjunto que mais beneficiou das bonificações previstas no regulamento.

O Belenenses marcou sempre ensaios – em todos os jogos – mas nunca foi além dos 3. Vejamos:

vs. Cascais (V, 11-25): 3 ensaios
vs. Técnico (V, 20-8): 3 ensaios
vs. Agronomia (D, 5-30): 1 ensaio
vs. CDUP (D, 15-7): 1 ensaio
vs. CDUL (D, 39-19): 1 ensaio
vs. Direito (V, 13-0): 2 ensaios
vs. Benfica (V, 15-18): 3 ensaios

Nas derrotas, o Belém também nunca obteve diferenças pontuais inferiores a 8 pontos, o que não lhe permitiu somar nenhum ponto na tabela classificativa.

Relativamente aos adversários do Belém nos jogos da 1ª volta, apenas CDUL e Benfica obtiveram bonificação. Os primeiros porque marcaram mais de 4 ensaios e os segundo devido à diferença no marcador.

Notas:

(*) – Deve regressar a Portugal e ao Belenenses durante a 2ª volta do Campeonato.
(**) – Já se encontrava integrado na equipa sénior em 2005/2006, tendo apenas jogado alguns minutos contra a Académica, em Coimbra.

Etiquetas: , ,

Juniores: agora é a doer...

Terminou a 2ª fase dos Campeonatos Nacionais de Juniores e Juvenis. A partir de agora não há segundas oportunidades uma vez que os jogos são a eliminar. Não há por isso lugar a «tardes más» nem a «azares». É preciso encarar os jogos como se finais fossem (aliás, é precisamente isso que eles são!) e com 110% de concentração.

Os resultados da 2ª fase mostraram que nenhuma equipa é imbatível. Todas as equipas perderam jogos, e mesmo aquelas que numa semana se mostraram muito fortes caíram na jornada seguinte contra adversários considerados teoricamente mais fracos. Recordemo-nos do ano passado, quando o CDUL apresentava uma fortíssima equipa, praticamente imbatível e que semanas antes da final (na qual viria a perder com o Belenenses...) havia ganho aos rapazes de Belém por uma diferença de mais de 70 pontos (se não estou errado).

Os jogos dos 1/4 de final do Nacional de Juniores são:

Belenenses (1º) - Lousã (8º)
Agronomia (2º) - Cascais (7º)
Académica (3º) - CDUL (6º)
CDUP (4º) - Direito (5º)

Importa limpar a cabeça, esquecer os triunfos mais dilatados e concentrar a atenção nas derrotas mais pesadas. É preciso aprender com os erros cometidos em jogos com aquele em que fomos pesadamente derrotados pela Académica, em nossa casa, por 5-43.

Importa estabelecer prioridades, e pensar nos meses «perdidos» a treinar à chuva e ao frio no Estádio Nacional. Importa perceber que jogamos como treinamos, e que se treinarmos a 100% jogamos também a 100%.

Importa recordar que somos os campeões em título, o que é sempre uma honra e nunca um fardo! Os campeões caracterizam-se pela humildade, pelo espírito de sacrifício, pelo anti-vedetismo e pela união/espírito de grupo! Apenas um grupo forte, unido e consciente das dificuldades que o esperam estará em condições de defender um título que muito custou a ganhar em 2005/2006, e que este ano será muitíssimo disputado, com várias equipas a apresentarem-se como potenciais vencedores.

Lembrem-se, rapazes da equipa junior, do «balde de água fria» que a nossa equipa senior sofreu no ano passado, quando deitou a perder uma época inteira em um só jogo.

Sobretudo, lembrem-se que já levam uns aninhos de Rugby e que este é o momento mais importante da vossa vida desportiva até ao momento. Vencer em 2005/2006 foi muito bom... Mas confirmar o título em 2006/2007 é que é o verdadeiro desafio.



Mais difícil que chegar ao topo é mantermo-nos lá em cima... Estaremos à altura? Eu confio que sim!

Etiquetas:

domingo, fevereiro 18, 2007

Jornal do Belenenses (#39 da nova série)

«Já está disponível na Nova LojaAZUL a edição nº 39 do Jornal «Os Belenenses», referente ao mês de Fevereiro. Esta edição fica marcada pelo aumento do número de páginas para 24, todas a cores, e pelo surgimento de algumas novidades a nível de conteúdos, numa procura de melhorar a sua qualidade.»

Preço: 0.50€
Local de venda: Loja Azul (Estádio do Restelo)

O Jornal do Belenenses inclui sempre uma página totalmente dedicada ao Rugby (seniores e escalões de formação).


Legenda: Página do Rugby na edição de Janeiro.

Etiquetas:

sábado, fevereiro 17, 2007

Resultados do fim-de-semana

Seniores

Divisão de Honra (7ª Jornada)

Benfica, 15 - Belenenses, 18
CDUP, 17 - Técnico, 3
Direito, 15 - CDUL, 10
Agronomia, 43 - Cascais, 3

Classificação:

1. Agronomia - 32 pts.
2. Direito - 22 pts.
3. Benfica - 19 pts.
4. Belenenses - 16 pts.
5. CDUP - 15 pts.
6. CDUL - 12 pts.
7. Cascais - 10 pts.
8. Técnico - 3 pt.

Escalões de formação:

Juniores
7ª Jornada, 2ª fase
CDUP, 5 - Belenenses, 27

Juvenis
7ª Jornada, 2ª fase
CDUP, 3 - Belenenses, 10

Etiquetas: , ,

Vitória suada mas... justa!

O Belenenses foi esta tarde ao EUL, casa emprestada do Benfica, conquistar 4 preciosos pontos na luta pelo apuramento para a Final Four. Os azuis do Restelo marcaram três ensaios contra dois, e o marcador registou no final dos 80 minutos 15-18. O jogo, nem sempre bem jogado, valeu sobretudo pela luta e pela incerteza no resultado.



A equipa azul apresentou-se com um XV novo (a equipa ainda não conseguiu apresentar-se duas vezes da mesma forma), marcado sobretudo pela ausência do capitão João Uva, que sofreu uma concussão no treino da passada 4ª feira (selecção nacional). Igualmente ausentes estiveram Francisco Moreira e Mata Pereira (questões pessoais), Cristian Spachuk, João Mirra e Diogo Pinheiro (lesão), e Bruno Nifo (castigo).

Assim, e para este importante jogo (contra uma boa equipa e que fechava a 1ª volta do campeonato), Francisco Borges e Pedro Netto introduziram algumas alterações face ao jogo com o Direito: Netto - que este ano é treinador-jogador - entrou para o lugar
de formação, e Diogo Miranda vestiu a camisola n.º15 (tal como havia acontecido contra o CDUL). Saiu Murteira e entrou Guillermo para a 1ª linha. Sebastião da Cunha vestiu a camisola n.º6, com o seu irmão Salvador a alinhar com a n.º7.

Nos primeiros 10 minutos do encontro, intenso domínio do Benfica, que «acampou» nos 22 metros do Belenenses para fazer o primeiro ensaio da tarde (5-0).

O Belém sacudiu a pressão e poderia ter reduzido quando Pedro Silva chutou a 45 metros dos postes, sem sucesso. O jogo equilibrava-se e aos rápidos ataques do Benfica, com Filipe Grenho a distribuir muito jogo, respondia o Belém com muitas fases e Pedro Netto a fazer uso de toda a sua experiência para pautar o jogo ofensivo azul.



Assim, aos 20 minutos e após uma sequência «touche-maul» a 5 metros da linha de ensaio do Benfica, os avançados belenenses trabalharam bem e criaram espaço para que o ponta Francisco Cunha aproveitasse o espaço no lado fechado, empatando a partida a 5 pontos.

Cinco minutos mais tarde, uma penalidade frontal aos postes permitia ao conjunto do Restelo somar 3 pontos, e aos 35 foi a vez de Sebastião da Cunha - regressado da selecção de Sevens - fugir pela esquerda (após uma excelente jogada dos avançados, com Fezas Vital a fazer um passe longo para a ponta) e correr dentro da área de ensaio para 5-13.



Perto dos 40 minutos, e na sequência de um maul azul que avançava, um jogador do Benfica cai propositadamente - procurando a derrocada do maul - e é pisado por Juan Murré. Rohan Hoffman, em cima da jogada, intervem e mostra o cartão amarelo ao pilar luso-argentino do Belenenses, o que obrigou o conjunto do Restelo a terminar a 1ª parte e iniciar a 2ª com menos um elemento do seu bloco avançado...

O segundo tempo iniciou-se de forma algo lenta, com as duas equipas a usar muito o jogo ao pé, tentando colocar a oval perto dos 22 metros do adversário. Assim, durante cerca de 20 minutos não se registaram pontos, mas é justo reconhecer que o Benfica esteve perto do ensaio por duas vezes. O Belenenses voltou todavia a estar bastante agressivo e atento na defesa, e acabou por evitar males maiores, chegando aos últimos minutos do jogo em vantagem.

A insistência benfiquista deu todavia frutos, e à entrada para a fase decisiva do jogo os encarnados chegaram ao ensaio, relançando o jogo, com o marcador a registar 12-13, após conversão.

Com o jogo a terminar, e durante uma jogada de contra-ataque do Belenenses, o centro Hugo Melo faz obstrução sobre o formação Pedro Netto, e vê o cartão amarelo. O Benfica ficou assim com menos um homem na linha de três-quartos, fragilidade aproveitada pelo Belenenses para chegar aos 12-18, com Diogo Miranda a aproveitar a ausência do centro para correr 35 metros e obter o terceiro ensaio azul da tarde.

Até ao final, registo para uma penalidade aproveitada por Filipe Grenho (15-18) e para o facto dos encarnados nunca terem desistido, facto que acaba por valorizar a vitória do Belenenses e sobretudo a garra e excelente atitude defensiva do XV da Cruz de Cristo! É precisamente na defesa que se ganham estes jogos mais equilibrados.

O Belenenses passa a somar 16 pontos, menos dois que o Benfica (que fez ponto bónus, correspondente à derrota por menos de 8 pontos), reforçando a sua 4ª posição e a candidatura à Final Four.

Segue-se a visita ao Técnico, prevista para a próxima 3ª feira.

Ficha de Jogo:

Benfica, 15 (2 ensaios)
Belenenses, 18 (3 ensaios)

Árbitro: Rohan Hoffman

Belenenses:

1. Guillermo (Murteira)
2. Paulo Santos
3. Juan Murré
4. Fezas Vital
5. Lourenço Andrade (Marco Miroto)
6. Sebastião da Cunha
7. Salvador da Cunha
8. Valter Jorge
9. Pedro Netto
10. Ramiro Alvarez
11. Duarte Bravo
12. Pedro Silva
13. David Mateus
14. Francisco da Cunha (c)
15. Diogo Miranda

Jogadores não utilizados: Carlos Janardo, António Fraga, Diogo Jorge, Diogo Castro e Gonçalo Lucena.

Etiquetas: ,

Nova vitória (15-18)!

O Belenenses bateu esta tarde o Benfica, em jogo disputado no Universitário de Lisboa, por 15-18. Do lado azul marcaram Francisco da Cunha (5), Sebastião da Cunha (5), Diogo Miranda (5+3).

Para mais tarde ficam prometidas a crónica e as fotografias.

Parabéns, rapaziada! Sempre a subir!

Etiquetas: ,

sexta-feira, fevereiro 16, 2007

O clássico dos clássicos!...

Belenenses e Benfica são as duas equipas mais antigas no Rugby nacional. Os dois emblemas são os que jogam a modalidade de forma ininterrupta há mais tempo, e se contarmos as épocas já cumpridas pelos dois emblemas chegamos à conclusão de que, mesmo com interrupções, encarnados e azuis são os XV's que andam nisto da bola oval há mais anos... mesmo tendo em conta que o Futebol é, para os dois clubes, a modalidade considerada n.º1 pela massa associativa.

É justo dizer que foi o Benfica quem, no final do ano de 1928, apadrinhou o primeiro jogo disputado pelo Belém. Vencemos nós, belenenses, por 11-0 e sobre esse mesmo jogo podem ler aqui.

Assim, é com muito interesse que assisto a todas as edições deste «clássico dos clássicos» do Rugby português, e só tenho pena que as assistências sejam na generalidade dos jogos entre as duas equipas tão escassas. Creio que Belenenses e Benfica têm pela frente um colossal trabalho de atracção de público aos seus jogos, e esse trabalho tem de ser iniciado pelos clubes pois... ninguém o vai fazer por eles.

Há «milhentas» formas de promover os jogos e em particular este «clássico». Uma delas, proponho eu, é fazer coincidir com o jogo para o campeonato a disputa de um troféu específico entre os dois conjuntos. Quero dizer, acho que seria interessante realizar-se anualmente (um ano no Restelo, no outro em casa do Benfica) um jogo enre as duas equipas que contasse para dois efeitos: o Campeonato Nacional e uma prova particular envolvendo os dois emblemas.

Seja como for, o jogo de amanhã não é a feijões (muito pelo contrário!) e conta para a prova máxima do Rugby nacional. Que melhor razão existe para que a ele se assista?

A todos os belenenses apelo à mobilização em torno da nossa equipa. E mesmo sabendo que este trabalho de «chamar gente ao Rugby» não é fácil, persisto nesta cruzada (um pouco desacompanhado, é certo...) na esperança de amanhã ver lá uma cara nova, de cachecol ou bandeira azul.

Força Belém!

Etiquetas: ,

quinta-feira, fevereiro 15, 2007

Estágio Carnavalesco

Não querendo parecer um defensor e promotor da ARS, há que realçar mais uma iniciativa vinda da instituição que mais tem feito em prol do desenvolvimento do Rugby em Portugal (a mim ninguém me tira esta ideia da cabeça).

No meio de várias actividades desenvolvidas pela Associação de Rugby do Sul (para saberem mais sobre todas a frentes de combate cliquem aqui), desde a organização de TODAS as competições nacional de TODO o Rugby sub-15, implemento do «Bitoque Rugby» e de «Tag Rugby» em várias escolas (mais de 3000 jovens envolvidos), cá vem mais uma grande acção... desta feita é um Mega-Estágio de Iniciados em Fronteira, envolvendo mais de 100 pessoas, cerca de 80 jogadores, 7 árbitros, 12 treinadores.

O estágio é liderado por: Henrique Garcia, Pedro Gonçalves, Mário Pato, Francisco Branco, Ferdinando de Sousa.

Da parte do Belenenses, com presença garantida estão:

Afonso Nogueira (treinador e árbitro)
Pedro Graça (árbitro)
Joaquim Oliveira (árbitro)
Vasco Poppe (jogador)
Francisco Batalha (jogador)
Miguel Galvão (jogador)
Jaime Freire (jogador)
Bernardo S. Cardoso (jogador)
José Diogo Botte(jogador)

Serão 3 dias sem parar, mais informações é só consultar o site da ARS - www.arugbysul.pt

Etiquetas: , ,

«Muri» sobre o Sevens

Concluída a primeira metade do Circuito Mundial da IRB (etapas do Dubai, George, Wellington e San Diego), Paulo Murinello escreveu um artigo de proposta que pode também ser visto como um balanço do caminho percorrido (é pelo menos a minha leitura) e de perspectiva sobre o futuro.

Creio que se trata de leitura indispensável para quem segue o Rugby luso. Assim, para quem tiver tempo e interesse, basta clicar aqui.

Etiquetas: ,

Bora lá, Belém!


Foto: Francisco Nogueira.

Benfica vs. Belenenses
Sábado, 17 de Fevereiro
15:00 horas
Estádio Universitário de Lisboa
(Árbitro: Rohan Hoffman)

Todos a apoiar o Belém!

Etiquetas: ,

quarta-feira, fevereiro 14, 2007

Nifo e Castro avançam para a Blogosfera!

A maré de Blogs ovais não pára de crescer, e a especialização dos mesmos vai agradando aos gostos de cada um. Desta feita dois jogadores do plantel senior do Belenenses - o formação Bruno Nifo e o centro Diogo Castro - resolveram abrir a sua própria «tasca». Para a visitarem, cliquem aqui.



Usando as palavras dos próprios, a motivação do recém criado «Fotos Rugby Belém» é a seguinte: «Este blog tem como objectivo ir aos jogos de Rugby do Belenenses, tirar fotos e talvez também fazer uns DVD com Vídeos dos jogos. O pensamento é dar prioridade aos jogos dos Miúdos(bambis até juvenis ou juniores) pois são aqueles que têm maior procura e onde interesse das mães e pais em ter fotos e filmes das suas crianças é Maior».

Aos dois companheiros da Cruz de Cristo, desejo de longa vida e sucessos blogosféricos!

Entretanto, fica também o convite para passarem no TVRUGBY, arrecadação do Belenenses XV dedicada a vídeos do Rugby azul. Cliquem aqui.

Etiquetas: ,

terça-feira, fevereiro 13, 2007

Novo Blog na «Blogosfera Oval Lusófona»

Um pequeno post a anunciar a inserção, na secção de links, de uma referência ao novo Blog Coisas de Rugby, que mora em http://coisasderugby.blogspot.com/.

A comunidade virtual do Rugby cresce, e se há dois ou três anos não havia nada para ler sobre o Rugby português e em português, hoje a oferta é farta!

Etiquetas: ,

segunda-feira, fevereiro 12, 2007

Ainda sobre o Irlanda - França

Ontem à noite referi, em post dedicado ao jogo entre Irlanda e França, a atitude de grande desportivismo e bom senso adoptada por Eddie O’Sullivan, o seleccionador nacional irlandês. É que em vez de crucificar o desprotegido Steve Walsh, O’Sullivan preferiu relativizar o efeito dos dois erros do árbitro neozelandês no desfecho de um jogo que muito provavelmente deitou a perder o Torneio e negou aos homens de verde um Grand Slam que buscam desde... 1948!

Não posso todavia deixar de confessar que quando vi Steve Walsh de apito na mão, segundos antes do início da partida, me lembrei das observações nada agradáveis que sobre ele escreveu Brian O’Driscoll (capitão irlandês ausente por lesão) a propósito dos jogos em que o juiz kiwi esteve envolvido, durante a digressão dos Lions à Nova Zelândia.


Legenda: Steve Walsh com Brian O'Driscoll e Gordon D'Arcy, no célebre jogo entre os Lions e os Maori, que valeu a primeira vitória destes últimos sobre a formação do hemisfério norte.

Atenção: não estou a sugerir que Walsh prejudicou deliberadamente a Irlanda, como vingança contra O’Driscoll. Sendo um árbitro profissional, os dois erros de ontem custar-lhe-ão caro, e Walsh é também um dos penalizados do jogo de Croke Park. Mais acrescento que é de louvar o reconhecimento, por parte do árbitro e em pleno relvado, do erro.

Walsh poderia ter tido a tendência para compensar a Irlanda, mas tentou libertar-se da pressão e foi nitida a sua preocupação de não voltar a errar.

Confesso que o seu estilo autoritário – O’Driscoll fala nele, em «A Year in the Center» - não me agrada particularmente. Todavia, e curiosamente na sequência de erros graves, foi possível verificar no mesmo homem uma outra face, mais modesta e justa.

Um exemplo a reter, tal como o de O’Sullivan.

Etiquetas: ,

domingo, fevereiro 11, 2007

Irlanda: Adeus ao título?

Em jogo disputado esta tarde no imponente Croke Park (Dublin), a Irlanda perdeu com a França por 17-20. O jogo foi bem disputado (ainda que nem sempre bem jogado) e valeu pela emoção e entrega das duas equipas. Quem o viu certamente não deu por perdido o seu tempo (aliás, tive a oportunidade de ver os três jogos desta 2ª jornada do VI Nations e achei todos bastante interessantes).

A questão que se levanta - dado o favoritismo atribuído à Irlanda - é a seguinte: terão os jogadores da Ilha Verde desperdiçado já, ao segundo jogo, a possibilidade de voltar a ganhar o Torneio?

França e Inglaterra - os dois eternos candidatos - são agora os únicos conjuntos invictos, e os irlandeses passam a depender de terceiros.

Ainda sobre as incidências do jogo de hoje, e recordando duas decisões infelizes do neozelandês Steve Walsh (com clara influência no resultado), leiam-se as serenas declarações de Eddie O'Sullivan, seleccionador nacional irlandês: «Steve admitted at the time when he blew the whistle on Geordan that he'd got it wrong. He apologised to the boys and these things happens. (...) It's the luck of the draw and could happen to any referee. It could have gone either way with Horan and overall I thought Steve had a good game, he didn't affect the outcome of the match».

O VI Nations é outro campeonato... até em matéria de desportivismo!

Etiquetas: ,

sábado, fevereiro 10, 2007

Belém vence Direito (13-0)

O Belenenses regressou às vitórias ao bater no Restelo a equipa actual campeã nacional - o Direito - por 13-0, num jogo em que os azuis voltaram a mostrar o querer e a agressividade defensiva que a caracterizou nas temporadas anteriores. O Belém alcançou assim 4 pontos, que poderiam ter sido 5 caso se tivessem verificado os quatro (em vez de apenas dois) ensaios que efectivamente estiveram prestes a acontecer.


Legenda: Azuis estrearam equipamento alternativo.

A razão fundamental desta vitória relaciona-se com a excelente atitude defensiva dos azuis, que nunca deixaram o Direito chegar à área de 22 metros belenense. Na verdade, os advogados apenas por uma vez tiveram oportunidade para pontuar (penalidade frontal a cerca de 25 metros dos postes), sem sucesso.

O Belém placou muito e quase sempre bem, foi uma equipa coesa e capaz de contestar com sucesso alinhamento e formações ordenadas de introdução adversária. Estão por isso de parabéns os avançados, reforçados hoje com o regressado Lourenço Andrade («Esparguete») e em particular a 1ª linha, muito sólida e consistente (primeiro com Murteira, China e Juan, e depois com Guillermo, China e Juan).

Destaque ainda para o regresso de Pedro Silva («Bananinha»), jogador internacional formado nas escolas do clube da Cruz de Cristo, que no início de 2006/2007 se treinou no Cascais, para regressar depois a «casa». Pedro Silva alinhou a 1º centro, formando dupla com David Mateus, e ainda a médio-abertura, após a expulsão definitiva de Bruno Nifo.

O Belenenses alinhou de início com Murteira, China e Juan Murré; Fezas Vital e Lourenço; Salvador, Uva e Valter Jorge; Nifo e Ramiro; Bravo, Pedro Silva, David Mateus, Francisco da Cunha e Moreira.

O jogo começou com ligeiro ascendente do Direito, logo anulado pelo Belenenses que antes dos 10 minutos chegou ao ensaio por intermédio de uma excelente iniciativa do n.º15 Francisco Moreira. Ramiro Alvarez falhou a conversão e logo a seguir também não aproveitou uma penalidade que poderia ter assegurado ao Belém uma vantagem de 10-0.



Pouco depois do ensaio, João Uva viu o cartão amarelo a penalizar uma suposta placagem alta, e o Belenenses passava a jogar com 14 elementos. O Direito chutava para a touche a 5 metros da linha de ensaio Belenenses, mas quando todos esperavam um maul dinâmico foi o Belenenses quem ganhou a bola (mérito dos saltadores azuis e demérito de João Correia, a revelar uma vez mais dificuldades na introdução de bolas nos alinhamentos).

Mesmo em inferioridade numérica o Belém nunca deixou de procurar atacar, e David Mateus captou bem uma bola na zona do meio campo, e correu com a oval na mão até perto dos 22 metros dos «advogados», servindo depois Francisco da Cunha, que correu sem oposição para 10-0. O primeiro tempo fechava com o Belenenses em vantagem.

Depois do reinício da partida, e após uma falta numa formação espontânea, Francisco Moreira chutou de longe aos postes - aproveitando o vento a favor - e somou 3 pontos ao marcador, para 13-0.

O Direito mostrou nesta fase do jogo pouca serenidade e apesar de ter tentado aproveitar a força da sua 3ª linha para furar a muralha defensiva azul (o capitão dos advogados Vasco Uva é de facto muito forte neste tipo de jogo) a verdade é que raramente ou nunca chegou aos 22 metros defensivos do Belenenses.

Já com o jogo perdido, João Correia pisou primeiro João Uva (quando o capitão belenense não impedia de forma alguma a saída da bola da formação espontânea), e acabou por agredir na sequência da jogada e «à cabeçada» o formação azul Bruno Nifo. Gerou-se confusão dentro de campo, e por indicação do fiscal-de-linha o árbitro da partida, João Mourinha, acabou por mostrar o cartão amarelo ao 1ª linha do Direio e... vermelho ao médio-formação do Belenenses.

Houve ainda tempo para Valter Jorge ver o amarelo, obrigando o Belém a terminar a partida com 13 jogadores em campo.

Após o apito final consumou-se a vitória azul, inteiramente merecida e a premiar a excelente atitude defensiva demonstrada ao longo de 80 minutos.

O Direito jogou efectivamente sem alguns dos seus jogadores mais criativos (em especial na defesa), da mesma forma que o Belenenses não contou com vários jogadores importantes no modelo de jogo da equipa (Mata Pereira, Cristian Spachuk, João Mirra, Diogo Pinheiro, etc.).

Etiquetas: ,

sexta-feira, fevereiro 09, 2007

Belém recebe Direito



A Divisão de Honra está de volta e o Belém recebe este sábado o Direito no Restelo, pelas 14:00 horas. O jogo, que não tem transmissão televisiva (LOL), será apitado por João Mourinha.

No Estádio Nacional, as equipas de Juniores e Juvenis defrontam a Académica, respectivamente às 13:30 e 15:00 horas. Ambos os jogos serão apitados por João Neto.

Etiquetas: , , ,

Campos: a velha questão!

Li atentamente o texto do consócio Jorge Braz no regressado Blog «Canto Azul ao Sul», e senti-me novamente tentado a escrever sobre a velha questão dos campos e a sua influência no desenvolvimento de uma melhor política de formação de atletas no Futebol e no Rugby belenense.

Não vou repetir as queixas sobre a actual situação do Rugby belenense no que diz respeito a campos. Quem se quiser inteirar da situação, clique aqui. Acrescento apenas que o referido pelado não tem, de facto, as dimensões necessárias para nele se construir um campo de Rugby, pelo que a solução apresentada não tem viabilidade.

Tem razão o Jorge quando escreve - referindo-se à formação no Futebol - o seguinte: «De facto e pese embora Cabral Ferreira diga que a aposta nos jovens é essencial, um clube que tem um campo relvado para treino de 11 equipas de Futebol é um contra-senso».

Acrescente-se que às 11 equipas de futebol se devem somar os Bambis, Benjamins, Infantis, Iniciados e Juvenis do Belenenses, sendo que em alguns dos casos as equipas contam com largas dezenas de atletas. O mesmo relvado (n.º2 do Complexo) serve ainda de campo oficial de jogo para as equipas do futebol juvenil e para a equipa senior de Rugby.



Impõe-se por isso encontrar uma solução que permita ao Belenenses prosseguir o seu trabalho de formação de atletas e homens, tanto no Futebol como no Rugby.

A colocação do novo piso sintético no campo n.º3 não é por si só uma solução, e a enorme pressão que as várias equipas competitivas do clube exercem sobre o pouco espaço do Complexo pode, num futuro próximo, obrigar o Belenenses a tomar decisões mais ou menos drásticas.

Com as eleições à porta, e tendo em conta a prioridade que naturalmente os sócios do Belenenses dão ao Futebol, será provável ouvirem-se propostas relativas ao fim do Rugby no Clube (lembro-me de ler, há não muito tempo, frases como «o Rugby é mujito bonito mas para clubes como o CDUL ou o Técnico»). O cenário do fim do Rugby no Belém (quando a modalidade está prestes a completar 80 anos de Cruz ao peito...) é real, e a FPR deve reflectir seriamente sobre ele!

O fim do Rugby num clube como o Belenenses não é tema que apenas diga respeito ao próprio clube, e pelo contrário deve preocupar a entidade que tutela a modalidade em Portugal. O Belém é o clube com mais anos ininterruptos de Rugby em Portugal (a par do Benfica), contribui activamente para o desenvolvimento da modalidade e para a formação das diversas selecções nacionais (todas excepto a feminina). Trata-se de uma das melhores escolas de Rugby do país e a simples hipótese de se ver reduzido o investimento do clube (nomeadamente no que diz respeito a espaços) nesta frente desportiva deveria preocupar muitíssimo quem tem como tarefas preocupar-se com o mundo oval lusitano...

Não tenhamos ilusões: o Belenenses é sobretudo um clube de Futebol... e das duas uma: ou a prática (formativa e competitiva) do Rugby se compatibiliza com a referida modalidade, ou corremos o gravíssimo risco de ver uma futura direcção estritamente orientada para o Futebol (já esteve mais longe...) dar uma sangrenta machadada no Rugby azul.

Um campo precisa-se! E as Salésias ao abandono...

Etiquetas: ,

quinta-feira, fevereiro 08, 2007

Faleceu Luís Miramon

«Luís Miramon foi um dos pioneiros do Rugby Nacional, tendo-se distinguido sempre com as cores do Benfica, exceptuando um intervalo de três anos, em que jogou no CIF, voltando ao seu clube de sempre, o Benfica, onde conquistou vários titulos.

Foi várias vezes Internacional e ainda foi Seleccionador Nacional, além de árbitro e treinador.

Foi também Presidente do Congresso da FPR (actual Assembleia Geral) de 1968 a 1974.

Solicita-se aos clubes e árbitros que no próximo fim de semana, observem um minuto de silêncio em memória de Luís Miramon.»

Esta é uma notícia retirado do Site da FPR na íntegra pois consideremos relevante fazer a devida homenagem a este Grande Homem do Rugby.

quarta-feira, fevereiro 07, 2007

Leis de Jogo

Voltando ao campo das Leis de Jogo, que tem estado um pouco apagado aqui no Belenenses XV por razões várias, trago-vos um aspecto do jogo no chão.

É frequente ouvir «Sr árbitro o jogador não larga a bola», pois é, é uma verdade mas essa falta pode ser consequência de outra. Possivelmente o jogador não larga a bola porque não consegue, porque o estão a agarrar.

Para que se dissipem as dúvidas aconselho vivamente a consulta da lei 15, «Placagem», das «Leis de Jogo de Rugby», transcrevo aqui uma parte:

15.4. JOGADOR PLACADOR

(a) Se um jogador placa um adversário e, ao fazê-lo, vai também ao solo, o jogador placador deve imediatamente largar o jogador placado. - pontapé de penalidade

(b) O jogador placador deve imediatamente levantar-se ou afastar-se da bola e do jogador placador. - pontapé de penalidade

(c) O jogador placador não deve jogar a bola enquanto não estiver de pé - pontapé de penalidade


Já agora fique a conhecer a sinalética do árbitro:



terça-feira, fevereiro 06, 2007

Diogo Mateus convocado



«Alan Quinlan returns to the Munster colours tomorrow when he travels to Portlaoise RFC for the A game against Leinster (2pm).
Quinlan has been out of action for Munster since receiving a suspension from ERC following an incident in the Heineken Cup game against Cardiff Blues in Thomond Park in the middle of December. He was involved with Shannon last Saturday against UCD in the AIB Cup as was Sean Cronin who scored a try in Shannon's 34-24 victory that earned them a place in the semi-final

Munster A (Squad): E McGovern, T Buckley, Tim Ryan, M Essex, S Cronin, S O'Connor, C Wyatt, M Melbourne, A quinlan, T McGann, D Ryan, J Coughlan.M Lawlor, C Doyle, D Hurley, T Gleeson, D Mateus, C O'Boyle, E Hickey, J Manning, AN Other, C Delooze.»

Notícia na integra aqui

Tesouros azulados

Grande parte desta equipa é tetra campeã nacional, são os jogadores azuis nascidos nos anos de 87/88, actuais juniores.



para ver a imagem em grande basta clicar aqui

segunda-feira, fevereiro 05, 2007

Os lesionados azuis

Em jeito de homenagem faço aqui uma listagem do nosso estaleiro.

Espero que não me esqueça de nenhum, certamente que aqui vão faltar nomes, por isso peço que me ajudem acrescentando os que faltam (se não faltam é bom sinal!):


Seniores
Christian Spachuk
Diogo Pinheiro
João Mirra

Juniores
José Maria Fraga
Nuno Pestana

Juvenis
Manuel Muralha

Iniciados
Kiko Vieira de Almeida
Marcos Cunha
João Vítor
Rodrigo Trancoso

AS MELHORAS PARA TODOS...

domingo, fevereiro 04, 2007

Jogos dominicais

Os juniores azuis ganharam frente ao CDUL, resultado final: 26-15

Os iniciados foram a Évora trazer uma vitória suada e merecida frente à equipa da casa, no entanto os problemas maiores surgiram antes deste duelo, frente ao GGDireito com os nossos miúdos a saírem derrotados por 1 ensaio.

sábado, fevereiro 03, 2007

Os jogos de amanhã prometem...

Aproveite o domingo e vá até ao Estádio Universitário de Lisboa, às 13 horas, ver os juniores do Restelo a jogar contra o CDUL. Este é um encontro que se prevê escaldante dado serem as duas equipas de topo do Campeonato Nacional da época passada. A arbitragem deste duelo de titãs estará a cargo de Rohan Hoffman.

De topo são também as equipas que vão disputar a 1ª Jornada do Torneio Inter-Regional de Iniciados: Évora, Belenenses e Direito. De manhã bem cedo os jovens azuis vão rumar a Évora e prometem boas exibições. Destaque óbvio para o jogo entre as equipas do Évora e do Belenenses, respectivamente 1ª e 2ª classificadas do Torneio de Inverno.

Resultados de hoje

Juvenis:

Belenenses A, 3 - CDUL A, 7
Belenenses B - Vit. Setúbal (jogo ganho pelo Belenenses)

Iniciados:


Belém B - Vit. Setúbal (vitória do Setúbal)
Belém B - Elvas (vitória do Elvas)
Belém B - Direito B (vitória do Direito B)

sexta-feira, fevereiro 02, 2007

Blog «anexo» com imagens de vídeo

O Belenenses XV passa a contar com o Blog anexo para publicação de ficheiro de vídeo do passado e presente do Rugby azul. Para o consultar cliquem aqui.

Etiquetas: ,

Wellington Sevens (resultados)

Resultados da fase de grupos:

Fiji, 42 - Portugal, 0
França, 22 - Portugal, 14
Portugal, 26 - Estados Unidos, 21

Portugal qualifica-se assim para a Taça Bowl, tendo pela frente a equipa das Cook Islands. Os adversários dos Lobos registaram os seguintes resultados:

Austrália, 35 - Cook Islands, 17
África do Sul, 31 - Cook Islands, 12
Canadá, 12 - Cook Islands, 24

Trata-se pois de um adversário que se prevê complicado...

Etiquetas: , ,

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

Prioridades da NZRU



Aconselha-se vivamente a leitura desta notícia publicada no site oficial da NZRU acerca das prioridades estratégicas para 2007.

Apenas para se ter uma ideia daquilo a que se propõe a estrutura dirigente do Rugby no mais forte país do mundo no que se refere a esta modalidade, transcrevemos as quatro prioridades anunciadas pela NZRU:

- Win Rugby World Cup 2007;
- Review and update the High Performance and Community Rugby Plans (including school and club rugby);
- Ensure the success of the domestic competitions; and
- Develop and execute identified business development initiatives.

Creio que a FPR poderia definir precisamente as mesmas prioridades, exceptuando (obviamente e por não ser realista no contexto português) a primeira...

Etiquetas: ,

Tesouro

Há 9 anos era assim...

Esta foi a primeira digressão das Escolas de Rugby do Belenenses.



Soltas

#1
Portugal defronta Espanha

Dia 3 de Fevereiro - sábado - ficará marcado pelo regresso da selecção espanhola ao Torneio Europeu das Nações, ao defrontar em Lisboa a nossa equipa nacional, em jogo a contar para a 1ª jornada da prova. A lista de convocados para o encontro já se encontra publicada na página oficial da FPR e por isso não a iremos transcrever.

Espera-se que, no seguimento do que vem acontecendo, a equipa lusa conte com muito apoio, e sobretudo que vença este embate tão importante.

#2
Circuito de Sevens no Blog de António Aguilar

O Blog do jogador do Direito, AguilaRugby, prossegue a publicação do Diário escrito pelo referido atleta, relativo às incidências (dentro e fora do campo) da participação lusa no Circuito de Sevens da IRB 2006/2007. Leitura aconselhada.

#3
Rugby na TV

Entretanto, a Sporttv começa este fim-de-semana a transmissão em directo dos jogos do Torneio das VI Nações 2007.

Durante o mês de Fevereiro, a Sporttv transmite ainda os jogos do Circuito de Sevens, o encontro entre Portugal e Espanha (já referido) e pelo menos um jogo do Torneio Super14.

Aconselha-se, aos interessados, a consulta do site do referido canal.